Saiba mais sobre o Chemical Music – Festival de Música Eletrônica

Quem é fã de música eletrônica sabe que existe um grande número de festivais destinados a esse público que acontecem no mundo todo.

Entretanto, antes mesmo da música eletrônica se tornar conhecida como é hoje, já existia, no Brasil, festivais de música pensados e realizados apenas para esse estilo.

Um exemplo disso é o “Chemical – Festival de Música Eletrônica” que surgiu no Rio de Janeiro.

 Chemical Music (1)

História do Festival

A história do Chemical Music teve início em 2005, com sua primeira edição.

Mas, mesmo antes disso, a música eletrônica já reunia jovens em festivais.

Ainda em 2000, o mesmo organizador do Chemical, Claudio da Rocha Miranda Filho, já havia criado um festival especialmente para a música eletrônica, chamado “Bunker Rave”.

Esse festival sofreu problemas legais e teve sua última edição em 2004.

Com o fim da Bunker Rave, a identidade e a idealização do festival de música eletrônica foi repensada, e surgiu, no ano seguinte, a Chemical Music.

Edições

A primeira edição do festival de música eletrônica aconteceu em 2005, no Riocentro, na cidade do Rio de Janeiro.

Esta primeira edição já tinha identidade e organização semelhantes aos grandes festivais de música eletrônica do mundo, contando com diversos espaços para que cada pessoa pudesse curtir o estilo que mais gostava.

Com o slogan “A maior celebração de todas as tribos de música eletrônica” a ideia era abranger, desde a organização até o line up (apresentações), um grande número de estilos, como o trance, o house e o electro.

O festival era realizado todo ano e trazia grandes nomes da música eletrônica.

Com o sucesso de público, os organizadores decidiram realizar o festival em outras capitais, passando por Curitiba (em 2006) e Belo Horizonte (em 2008).

Em 2009, com sua quinta edição, o Chemical Music atinge seu recorde de público com 24 mil pessoas.

 Chemical Music (3)

Mudanças e reformulações

Por conta do grande sucesso em 2009, o festival acabou causando problemas com a vizinhança do bairro da Barra, no Rio de Janeiro e, por isso, teve que mudar de local no ano seguinte.

Sendo feito, então, na Marina da Glória (Zona Sul), o festival acabou atraindo menos pessoas.

Além da mudança de local, também se adiciona o fato de novos estilos de música eletrônica estarem sendo criados por conta da sua popularização, o que faz com que menos pessoas se interessassem pelos estilos do festival.

Em 2011, seria realizada uma edição em São Paulo, mas esta acabou sendo cancelada por conta do cancelamento do “The Chemical Brothers”, que seria a principal apresentação da edição.

Foi preciso, então, se reinventar.

Em 2015, completando 10 anos, o festival já havia mudado sua identidade e retomado os estilos antigos, se tornando um festival que atraía menos pessoas, mas que se mantinha fiel à origem da música eletrônica.

Apresentações

A Chemical Music sempre trouxe grandes DJs para o Brasil em suas edições.

Entre os principais nomes, podemos citar o Solomun, um dos fenômenos da música eletrônica, o norte-americano Kaskade, holandeses como Riktan e Banzi, além de outros, como Jamie Jones e Steve Angello.

Entre os DJs brasileiros, é possível citar Ask2Quit, Mau Mau, Leo Janeiro e Gui Boratto.

Chemical Music (2)


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *